Santo Agostinho

Santo Agostinho

Bento XVI se dirigiu no dia 2.set.2009, ao concluir a audiência geral, a um grupo composto por católicos e ortodoxos, a quem desejou que a reflexão comum sobre Santo Agostinho ajude no diálogo ecumênico.

O Papa, grande admirador do santo de Hipona, dirigiu-se aos participantes do Simpósio Intercristão promovido pela Pontifícia Universidade Antonianum e pela Universidade Aristoteles de Tessalônica.

O Santo Padre desejou “que a reflexão comum entre católicos e ortodoxos sobre a figura de Santo Agostinho possa reforçar o caminho para a comunhão plena”. (Fonte Zenit, 2.set.2009

Papa pede a ortodoxos e católicos que aprofundem em Santo Agostinho: “Construí juntos a Cidade de Deus, onde seus filhos possam viver em paz e caridade”.

O santo de Hipona, um grande Padre da Igreja latina, reveste, de fato, uma importância fundamental para a teologia e para a própria cultura do Ocidente, enquanto a recepção do seu pensamento na teologia ortodoxa se revelou como problemática“, reconhece o Papa.

O bispo de Roma deseja que o simpósio seja “frutífero para descobrir convergências doutrinais e espirituais úteis para construirmos juntos a Cidade de Deus, onde seus filhos possam viver na paz e na caridade fraterna, fundadas sobre a verdade da fé comum”.

Dentre várias concepções do pensamento de Santo Agostinho, quero destacar, o que o Santo afirma da Filosofia Cristã, que vem de encontro ao Simpósio.

“A fé como “cogitare cum assensione” torna-se forma de conhecimento, cuja relação com a razão não é excludente, mas complementar: “credo ut intelligam et intelligo ut credam” (creio para entender e compreendo para crer).