Profeta Isaías

Profeta Isaías

Neste mês da Bíblia, vamos continuar o tema Profetas. Desta vez com destaque para Isaías, que viveu no séc. VIII AC e era conselheiro de Ezequias.

Seu livro contém 66 capítulos. E, com a aplicação do “método histórico-crítico” aos livros sagrados, os estudiosos, dividiram o livro em três partes, assim distribuídos: Proto-Isaías (cc. 1-39), cujo autor é o próprio profeta; Dêutero-Isaías (cc. 40-55) e Tríto-Isaías (cc.56-66), sendo estes dois últimos atribuídos a discípulos de Isaías.

Desta maneira, queremos destacar sete aspectos religiosos do Proto-Isaías, e posteriormente comentaremos sobre o Dêutero e Trito Isaías.

1) O Deus Santo: O título divino que mais ocorre na profecia é o Santo de Israel. Pois Ele é o Senhor, o Forte, o Poderoso, o Rei, o único criador do mundo e o verdadeiro ator da história humana.

2) Israel: Isaías não usa a palavra aliança, mas concebe a relação de Deus com o povo como a de um esposo (Is 5,1ss). Como Santo de Israel, Deus impõe obrigações morais ao povo: a prática da justiça social, o culto sincero (Is 1,10-20).

3) O plano divino: A fase preliminar desse plano compreende o julgamento divino acerca dos pecados dos indivíduos, de Israel e das nações pagãs. O pecado assume o aspecto particular de incredulidade e de orgulho. A vaidade das mulheres (Is 3,16), a indiferença para com o plano divino (Is 5,9), a prudência humana dos sábios (Is 5,21).

4) O orgulho, punição: Diante da atitude negativa do homem que se recusa a aceitar a palavra profética, Deus pode chegar ao ponto de endurecer o coração dos ouvintes tirando-lhes a possibilidade de compreendê-la: sofrerão assim as conseqüências extremas da sua obstinação (Is 6,9ss; Is 29,9ss).

5) A Fé: A fé implica em completo abandono ao Deus que dirige a história, em aceitação dos oráculos divinos e na esperança de obter a salvação unicamente de Deus (Is 8,17; Is 25,9; Is 30,18). Pede conversão (Is 7,3), confiança (Is 30,15), humildade (Is 29,4), obediência (Is 1,18ss) e o cumprimento da vontade divina na vida diária (Is 1,16s).

6) Reino de Deus: A fé possibilita participar da salvação. Esta é concebida como um reino de justiça e de paz (Is 9,4.8), de liberdade (Is 9,3), de luz e de alegria (Is 9,1-2).

7) O Messias descendente de Davi: A salvação é obra de um representante divino, o futuro rei ideal. Descendente da dinastia de Davi, ele é a pedra angular, sobre a qual se ergue o edifício divino (Is 28,16.17ª).

Podemos dizer que o Profeta Isaías, na História da Salvação, é o grande Profeta da santidade de Deus, da fé e do Messias glorioso.

Administre o seu tempo e reserve um espaço para a Palavra de Deus na sua vida. Salve Maria!