Santo Sepulcro, Jerusalém (Israel)com a rocha do Gólgota por trás do vidro. Destaque para o discípulo amado. As cores ricas, brilhantes e as luzes de prata dourada, um tema comum em todas as igrejas ortodoxas gregas

Santo Sepulcro, Jerusalém (Israel)com a rocha do Gólgota por trás do vidro. Destaque para o discípulo amado. As cores ricas, brilhantes e as luzes de prata dourada, um tema comum em todas as igrejas ortodoxas gregas

Segundo os dicionários a palavra FIDELIDADE, define a qualidade de quem é fiel, daquele que tem , é leal, anda na verdade.

Este ano, estamos na Igreja vivendo o Ano Sacerdotal, cujo tema é “fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote”, ou seja, para nós leigos há uma liderança sacerdotal de caminhada em nossas comunidades, movimentos e associações, que pela sua fidelidade, nos aponta o Cristo, a fidelidade por excelência.

Os congregados marianos, em seu hino, entoam: “E te juramos, oh Mãe querida, FIDELIDADE por toda a vida”, com um olhar para a Virgem sempre fiel que nos aponta seu Filho, nosso Redentor, a quem devemos seguir.

Deste modo, nas leituras diárias da Sagrada Escritura e contemplando através dos Exercícios na Vida Cotidiana (EVC), conforme nos orienta o Santo de Loyola, no nº 19 dos Exercícios Espirituais, e ancorado pela Bíblia Sagrada, anotada pela Faculdade de Teologia da Universidade de Navarra, encontramos um belo exemplo de FIDELIDADE POR TODA A VIDA.

Ao contemplarmos, o trecho da Ressurreição de Lázaro, em Jo 11, deparamos com o versículo 16, que diz: “Disse então Tomé, que é chamado Dídimo, aos companheiros: Vamos nós também, para morrermos com Ele!”. As palavras de Tomé recordam as dos Apóstolos no Cenáculo, dispostos a tudo, inclusive a morrer pelo seu Mestre (cfr Mt 26,31-35). Vejamos, também,  as palavras proferidas por Pedro, conf. V.35 do trecho de Mateus: “Disse-lhe Pedro: Ainda que tenha de morrer contigo não Te negarei. O mesmo disseram todos os outros discípulos”.

Aprendemos uma grande verdade: que não é suficiente o desejo do homem, a não ser que se apóie na ajuda de Deus”, conf. Bíblia da Universidade de Navarra. Quantas vezes prometemos fidelidade, quantas vezes prometemos continuar, seguir em frente em nossos propósitos, objetivos e por vários motivos desistimos.

Quantas pessoas encontramos, e nos falam já fui católico, já fui congregado mariano, já fui … e quantas vezes, esta mesma pessoa, rezou, cantou a frase FIDELIDADE POR TODA A VIDA, e, hoje nem professa mais a sua fé. Simples, estas pessoas não experimentaram a sua fé e por esta razão as coisas do mundo são mais atraentes.

Que Deus, continue a nos dar força para discernir o caminho a seguir, nos mantendo fiéis aos nossos propósitos.

Mas, há muitos exemplos de pessoas que vivem a FIDELIDADE POR TODA A VIDA. Queremos citar um, que me impressionou sobremaneira, quando passava pela Terra Santa, principalmente no Santo Sepulcro, e pude, por alguns minutos experimentar a cena do Calvário, cf Jo 19,25-27. Perguntei, onde estava Tomé, que na Ressurreição de Lázaro, falara que queria morrer com ele. E, Pedro, que disse que jamais o negaria. Mas, no Calvário, acompanhando o sofrimento de Jesus, estava só o discípulo amado, junto a Sua Mãe. Quase tirei do bolso minha fita de congregado mariano e coloquei em João, este sim, mostrou o que é ter FIDELIDADE POR TODA A VIDA.

A pureza de toda a vida de João torna-o forte diante da Cruz. – os outros apóstolos fogem; ele, com a Mãe de Cristo, fica. Mas, a pureza de João, é que enrijece e viriliza o seu caráter (cf. Bíblia da Universidade de Navarra).

Continuemos, agora mais seguros, a partir do exemplo do discípulo amado: “E te juramos, oh Mãe querida, FIDELIDADE por toda a vida”. Com a aproximação do Advento, cabe uma reflexão: Como anda a nossa fidelidade?