Na Escola Mater Ecclesiae – Núcleo Tijuca, aula de Sagrada Escritura III, a aluna Flávia de Oliveira Carvalho, teve seu texto escolhido, dentre outros excelentes textos, para ser publicado neste Blog.

O Tema proposto, para a turma: “Uma síntese: Jesus, Caminho, Verdade e Vida”, após leitura dos textos: “Como podemos conhecer o caminho”, por Claudio Paul,SJ; “Jesus é a Verdade”,  por João A.A.A. Mac Dowell,SJ e “A vida verdadeira”, pelo Pe. J. Ramón F. de La Cigoña,SJ, todos publicados na Revista Itaici (Revista de Espiritualidade Inaciana), nº 59, março/2005.

Flávia, apresentou o texto a seguir, que está sendo compartilhado àqueles que desejarem uma leitura sobre o amor de Deus.

******

jesus-ensinandoJesus Caminho, Verdade e Vida. É desta forma que Jesus se apresenta no Evangelho de João, cf. Jo 14,6.

Dentro de um contexto histórico, com a comunidade de Jerusalém se organizando, alguns  discípulos estão perturbados com o discurso de Jesus e desanimados. Aqui, estão representados não só os discípulos do tempo de Jesus, mas as comunidades de todos os tempos que vivem a perplexidade, o desânimo, a falta de clareza no caminho a ser seguido, ou seja, essa mensagem serviu para os discípulos de ontem e serve também para nós, discípulos e missionários, hoje.

Jesus, depois de ter anunciado a traição de Judas, e a negação de Pedro. Ele próprio, anuncia que vai partir, sem que alguém o possa seguir naquele momento. O encorajamento, passado aos discípulos, para enfrentar esta situação será manter a fidelidade na adesão de seus ensinamentos. A missão de Jesus, por meio de sua paixão-morte-ressurreição, será preparar um lugar na casa do Pai, a fim de que todos possam gozar da intimidade de Deus. Não seria possível essa intimidade sem a existência de Jesus. Quando Tomé pergunta como podemos conhecer o caminho? Jesus responde: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. Nesse momento, Jesus de forma cuidadosa dá a maneira de viver e qual deve ser o percurso da vida de seus discípulos: amando ao Senhor teu Deus, seguindo seus caminhos e guardando seus mandamentos.

Podemos dizer, que antes o caminho era a Torá, agora, Jesus é o Caminho. Jesus não mais aponta um caminho, Ele é o caminho. O caminho na medida em que sua vida é viver até as últimas conseqüências. Para Jesus, não bastava somente cumprir a Lei (com seus mais de seiscentos preceitos), mas era necessário amar e cuidar dos mais necessitados, como as viúvas, os órfãos etc…

Jesus é o Caminho, porque é a Verdade, que nos comunica a Vida. O caminho da verdade é a própria pessoa de Jesus, a Palavra encarnada na realidade humana. Jesus é a verdade, porque em sua pessoa tornou-se presente a comunhão de amor do Filho e do Pai.

A vida de Jesus se resume no seu amor ao Pai e aos irmãos. E, a nossa configuração com Ele consiste em viver o amor (caridade). Permanecendo no seu amor, unidos a Ele, como o ramo está unido à videira, poderemos amar o Pai e os irmãos como Ele fez. Creio que esse é o nosso maior desafio. Não basta conhecer os mandamentos, participar das Missas etc…, se não nos sensibilizarmos em no mínimo tentar aliviar a dor, o sofrimento, o peso da cruz do outro.

Jesus, não veio para alguns e sim para todos e quando os discípulos são chamados a seguir Jesus, não havia a intenção de distanciar os discípulos da realidade do mundo, pelo contrário, Jesus os enviou ao mundo, para que tenha presença entre todos os estados de vida e condições de pessoas. Jesus é o rosto humano de Deus. Seguindo Jesus a comunidade realizará integralmente à vontade e o projeto de Deus.

A Verdade significa fidelidade plena, estabilidade. Viver Jesus. – verdade é estar em sintonia profunda com os anseios divinos. É dar seqüência à fidelidade que Jesus manifestou em relação ao projeto de Deus. Então, acolhendo a Palavra de Jesus, acolhe-se o projeto do Pai.

Amigos, ser cristão, e viver como tal, é uma graça que envolve a vida toda na sua essência, e, devemos cuidar desse dom e fazer todo o possível para viver de forma graciosa, bela e cheia de encanto, mas não devemos desejar ou realizar isso somente na nossa vida, podemos e devemos colaborar para que a vida do outro também seja transcendente. Como exemplo, a Transfiguração de Jesus é um sinal de que também somos chamados a experimentar em nossa vida (passar do homem velho para homem novo), que deverá ser sempre iluminada e divinizada, colocando-nos a serviço dos outros, assim como fez Jesus.

Jesus verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, nos ensina que a vontade do Pai não é algo impossível ao homem, mas que depende da colaboração de cada um de nós para realizá-la, e para que isso aconteça precisamos imitar o seu filho na doação, obediência, caridade e na vida.