QUE É TEOLOGIA MORAL?

  • é a consideração teológica que estuda os atos humanos, considerando-os em ordem ao fim sobrenatural do homem, que é a comunhão de vida (eterna) com Deus.
  • é o estudo do comportamento humano à luz da revelação divina.
  • é o estudo do agir do homem, que alcança a comunhão com Deus através de sua liberdade e guiado pela razão, que é iluminada pela Verdade revelada por Deus.
  • é a arte de viver bem, isto é, como convém a um ser humano, que é consciente de sua dignidade de filho de Deus (CEC 1691-95)

CONCLUSÃO:  A Teologia Moral

  • procura deduzir, da Palavra de Deus, as normas concretas que conduzem o ser humano à sua realização plena.
  • nos leva a viver a nossa vocação à santidade.
  • orienta o homem a viver a nova vida no Espírito

NÃO É:

  • conjunto de obrigações que existem para impor limites ao homem.
  • assunto passível de uma avaliação subjetiva e, portanto, variável com épocas, sociedades e culturas (relativismo).
  • fruto da “boa intenção”, regra de convivência social, “ser bonzinho”…

A Teologia Moral não pretende sobrecarregar a nossa vida com mais obrigações e proibições, mas responder à questão de como poderemos servir e amar, nesta vida, ao nosso Deus, que nos ama infinitamente e nos chama constantemente a participar deste amor.

 É INDISPENSÁVEL QUE NOS CONVENÇAMOS DESTA VERDADE:

- DEUS ME AMA !!!  (1Jo.4,7-12)

SOMOS FILHOS MUITO AMADOS DE DEUS !!!

 

 

A OPÇÃO FUNDAMENTAL.

Opção fundamental é uma autodeterminação que envolve o sujeito em sua totalidade, nela se constitui a identidade vivida pelo homem diante de Deus e conseqüentemente diante do mundo.  Representa  o “núcleo decisional” do sujeito, isto é, por meio dela o sujeito moral  autodetermina (direciona) toda a sua vida (seu agir), está presente em todas as decisões e lhes comunica um nexo unificador existencial (sentido da vida).

A opção fundamental, entretanto, não deverá ser entendida como uma coisa estática, que uma vez estabelecida, permanecerá invariável durante toda a vida; ao contrário, está sujeita a um processo de amadurecimento contínuo, que deve ser desenvolvido pelas motivações e intenções de cada pessoa.

A nossa vida moral, portanto, dependerá de nossa “OPÇÃO FUNDAMENTAL”, isto é, a razão de nosso viver!! Aquilo que move todo nosso ser!!  Geralmente nossa decisão pela santidade é muito superficial e caímos em contradição – pecado.

NOS DIZEMOS DISCÍPULOS DE CRISTO,

MAS NÃO VIVEMOS CONDIZENTEMENTE COM ESTE FIM!

 

 

O ATO HUMANO.

Para que se possa definir a moralidade de um ato deve-se inicialmente classificá-los em:

ATO HUMANO = o ato executado com conhecimento e liberdade.  São os atos sobre os quais o homem tem domínio e, portanto, plenamente responsável por eles.

ATO DO HOMEM = atos que procedem do homem, mas que faltam quer advertência (débeis mentais, crianças, distração total), quer voluntariedade (coação física) ou mesmo ambas (ato reflexo ou instinto).

 

Referências Bibliográficas.

  • AQUINO, F.  A Moral Católica e os Dez Mandamentos. Cléofas, São Paulo, 2005.
  • BETTENCOURT, E.T.  Curso de Teologia Moral.  Escola “Mater Ecclesiae”.
  • Catecismo da Igreja Católica.  9ª edição. Ed. Vozes, Rio de Janeiro, 1997. nº 2052- 2557. 

Texto elaborado por Luiz Maurício Osório