A FORMAÇÃO ESPIRITUAL DO POVO DE DEUS

1) PELA DOUTRINAÇÃO DOS PROFETAS

Muitas vezes e de muitos modos, DEUS falou pelos profetas; na plenitude dos tempos, falou-nos por Seu Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo e por Quem, igualmente, criou o mundo”. (Hb 1,1-2).

Sim, a Educação da Fé de Israel se fez mediante os PROFETAS, homens escolhidos por DEUS para uma missão específica: FALAR em NOME de DEUS, levando ao Povo, a Mensagem do AMOR de DEUS e a VONTADE divina.

Os PROFETAS eram por VOCAÇÃO (Chamado divino) cf. Dt 18,17-20; Jr 1,7-9; 15,19ss; Is 1,2; 6,1ss; Am 7,14.15.

O PROFETISMO é de suma importância na História de Israel, Uma seção inteira da Bíblia se compõe de “Escritos dos Profetas” e em quase todos os Livros são narradas atuações decisivas dos Profetas.

Pelos profetas, o Povo chegava ao conhecimento da VONTADE DE DEUS por isso, o “SILÊNCIO DE DEUS” – ausência dos Profetas – era considerado como um castigo de DEUS para o Seu Povo (cf. Am 8,11.12; Ez 7,26). O “SILÊNCIO DE DEUS” deixava os israelitas inseguros e covardes.

A re-aparição do Profetismo era considerada como a volta da Benevolência de DEUS em favor de Seu Povo (cf. Ml 3,1; 4,5).

Mas, os Israelitas não ouviram os Profetas dos SENHOR. Preferiram seguir os seus caminhos…

Livros Bíblicos: 1Rs 12-22; 2Rs 1-25; 2Cr 10-36; Am; Os; Is; Mq; Sf; Na; Hab; Jr; Ez; Dn

 

2) FORMAÇÃO ESPIRITUAL PELO SOFRIMENTO

Apesar das freqüentes exortações dos Profetas, da ruína do Reino de Israel em 721 aC; da Reforma religiosa empreendida pelo Rei Josias, grande era a infidelidade do Povo à ALIANÇA e DEUS então, permite a queda de Jerusalém (Cf. Jr 7,25-28, 32-42).

Em 598 aC, Nabucodonosor toma Jerusalém e leva cativos para a Babilônia, o Rei Joaquim e a aristocracia israelita.

Em 587 aC, por haver o Rei Sedecias, tio de Joaquim, conspirado contra o Rei Caldeu, novamente Jerusalém é sitiada. Nabucodonosor, saqueia a cidade, destrói o Templo, conduz mais gente ao exílio. Só ficam em Jerusalém, viticultores e agricultores muito humildes. Por ordem de Nabucodonosor, ficou também o Profeta Jeremias (Jr 39,12).

Humanamente falando, estava exterminada a Nação Israelita: o Templo destruído, a capital arrasada, a Nação inexistente, o Povo no exílio, zombado e escarnecido pelos babilônios e tentado a crer – diante do poderio e da riqueza da babilônia – que o deus Marduk seria mais poderoso que Javé!…

A extensão da catástrofe e a duração do Exílio ameaçavam a FÉ e a ESPERANÇA dos Israelitas (cf. Sl 42,11).

Terá JAVÉ abandonado seu Povo? Esquecera a sua ALIANÇA?

Não! Os sofrimentos do Exílio serão causa de RENOVAÇÃO de ISRAEL.

Exilados em terra estrangeira…ultrajados em seu orgulho nacional…humilhados em suas crenças religiosas, ONTEM, despreocupados, auto-suficientes….

HOJE, meditam e voltam a JAVÉ, avaliam as conseqüências de sua infidelidade, se penitenciam de suas faltas, juram fidelidade a DEUS, compõem e recitam salmos, lamentando o sofrimento e suplicando a ajuda Divina.

Salmos: 42; 43; 120; 123; 129; 130; 131; 137.

Compreendendo melhor o sentido das Escrituras e o valor do sofrimento, o Povo Israelita reencontra a sua Vocação: POVO ESCOLHIDO POR DEUS PARA LEVAR AOS POVOS O PLANO do AMOR SALVÍFICO de DEUS, A MENSAGEM DO AMOR UNIVERSAL!

Conseqüências benéficas do Exílio:

1) Ocasião para um EXAME de CONSCIÊNCIA (cf. Lamentações de Jeremias)

2) Purificação e aprofundamento de sua Fé:  

a) Sinceridade na piedade

b) Possibilidade de CONVERSÃO

c) Responsabilidade pessoal pelo BEM da COMUNIDADE

3) Os Escritos dos Sábios de Israel, fruto da reflexão, do aprofundamento espiritual: 

a) Provérbios ~480 aC

b) Jó ~450 aC

c) Eclesiastes ~250 aC

d) Eclesiástico ~ 190 aC

e) Sabedoria, entre 100 e 50 aC

Livros bíblicos correspondentes: 2Rs 18-25; 2Cr 29-36; Sf; Na; Hab; Jr; Ez

 

3) FORMAÇÃO ESPIRITUAL PELA PACIÊNCIA

Mais conscientes da PALAVRA de DEUS recebida mediante os Profetas, purificados pelo sofrimento, O POVO DE DEUS compreende, então, que a sua VOCAÇÃO não é ser uma Nação poderosa, mas sim, uma COMUNIDADE RELIGIOSA, cônscia da REVELAÇÃO de DEUS que deverá transmitir a todos os povos.

O “RESTO SANTO” que volta à Palestina, libertado por Ciro, leva consigo:

  • Uma REVELAÇÃO mais completa
  • Uma FÉ mais profunda e uma piedade mais sincera
  • Uma RELIGIÃO mais espiritual
  • Uma compreensão maior do SOFRIMENTO na ECONOMIA da SALVAÇÃO: DEUS não quer a morte do pecador, mas, SIM, a sua conversão e a sua VIDA; quando permite o sofrimento, é uma advertência para que o pecador retorne à sua verdadeira MISSÃO, como afirma São Paulo: TUDO CONCORRER para o BEM dos que AMAM a DEUS” Rm 8,28
  • EXÍLIO permitiu a formação de uma elite piedosa, santa que animará a COMUNIDADE que volta à Palestina.
  • Esta COMUNIDADE, profundamente CÔNSCIA da VOCAÇÃO de ISRAEL, apta a entender o aspecto PROVIDENCIAL da Provação, o VALOR VIVIFICANTE da dor e da morte, preparará Israel para a VINDA do MESSIAS SOFREDOR (cf. Is 53).

NEEMIAS e ESDRAS são os líderes desta COMUNIDADE, o “RESTO SANTO” que volta do exílio muito mais desejoso dos Bens eternos dos que dos temporais. Por sua ESPERANÇA, toda voltada para os BENS de JAVÉ, são chamados os “POBRES DE JAVÉ” ou os “ANAWIN”, caracterizados pela:

  • Pobreza real ou seus equivalentes: sofrimento e perseguição
  • Dedicação fraterna aos humildes
  • Humildade total e sincera (cf. o Magnificat: Lc 1,46-55)
  • FÉ e confiança absolutas em JAVÉ
  • ESPERANÇA da SALVAÇÃO futura e da VINDA do MESSIAS.

Fonte: Anotações das aulas de Sagrada Escritura da Escola Mater Ecclesiae – Núcleo Glória, Profª Herenice Auler, Rio de Janeiro, RJ, 1995