LastSupperDaliO que é a Eucaristia? – É o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus, que Ele instituiu para perpetuar o sacrifício da cruz no decorrer dos séculos até ao seu regresso, confiando assim à sua Igreja o memorial da sua Morte e Ressurreição. É o sinal da unidade, o vínculo da caridade, o banquete pascal, em que se recebe Cristo, a alma se enche de graça e nos é dado o penhor.

 

Quando Jesus Cristo instituiu a Eucaristia e como? 1Cor 11,23-25: “23Eu recebi do Senhor o que vos transmiti: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão 24e, depois de ter dado graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é entregue por vós; fazei isto em memória de mim. 25Do mesmo modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; todas as vezes que o beberdes, fazei-o em memória de mim”.

 

Eucaristia na vida da Igreja é:

a) Fonte e ápice de toda a vida cristã:  “porque, pela participação deste sacrifício,  oferecemos a Deus (a vítima divina e a nós mesmos juntamente com ela)”, cf. LG,11. O mistério eucarístico é fonte inesgotável da vida e das atitudes do cristão. Não há ação cristã transformadora que nele não esteja alicerçada, a Eucaristia.

b) Auge da ação santificadora de Deus em nosso favor e do nosso culto para com Ele: “assim, quer pela nossa oferta, quer pela sagrada comunhão, não indiscriminadamente mas cada um a seu modo, todos tomam parte na ação litúrgica“. cf. LG, 11. A comunhão da vida divina e a unidade do Povo de Deus são significadas e realizadas na Eucaristia. Pela celebração eucarística unimo-nos desde já à liturgia do Céu e antecipamos a vida eterna.

c) Tesouro espiritual da Igreja: pois, está contido o próprio Cristo, nossa Páscoa: “Então, os demais sacramentos, assim como todos os ministérios eclesiásticos e tarefas apostólicas, se ligam à sagrada Eucaristia e a ela se ordenam“.

d) Comunhão da vida divina e a unidade do Povo de Deus: Na Eucaristia está o clímax tanto da ação pela qual, em Cristo, Deus santifica o mundo, quanto do culto que no Espírito Santo os homens prestam  a Cristo e, por ele, ao Pai”. A comunhão com o Ressuscitado edifica a Igreja como comunidade de fé, esperança e caridade.

e) União pela celebração eucarística com à liturgia do Céu e antecipamos a vida eterna: Quando Deus será tudo em todos.

 

Como é chamado o Sacramento da Eucaristia: Ação de Graças a Deus, cf. Lc 22,19: “Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim“.

a) Santa Missa: Porque a liturgia na qual se realizou o mistério da salvação termina com o envio dos “fiéis”. “A Missa terminou, começou nossa missão...” (antigo cântico dos anos 60).

b) Ceia do Senhor: Pois se trata da ceia que o Senhor fez com seus discípulos na véspera de sua paixão, cf. 1Cor 11,20: “Desse modo, quando vos reunis, já não é para comer a ceia do Senhor…

c) Fração do pão: Porque este rito, próprio da refeição judaica, foi utilizado por Jesus quando abençoava e distribuía o pão como presidente da mesa, na Última Ceia.

d) Celebração Eucarística: Porque a Eucaristia é celebrada na Assembléia dos Fiéis, expressão visível de Igreja.

e) Memorial da paixão, da morte e da ressurreição do Senhor: Porque fazemos memória ao próprio Cristo.

f) Santo Sacrifício: Porque atualiza o único sacrifício de Cristo Salvador e inclui a oferenda da Igreja, superando todos os sacrifícios da Antiga Aliança.

g) Santa e Divina Liturgia: Porque toda a liturgia da Igreja encontra o seu centro e a sua expressão mais densa na celebração deste sacramento.

h) Santos Mistérios: Porque designam as espécies eucarísticas guardadas no tabernáculo.

i) Santíssimo Sacramento do altar: Porque é o sacramento dos sacramentos.

j) Santa Comunhão: Porque é por este sacramento que nos unimos a Cristo, que nos torna participantes do seu Corpo e do seu Sangue para formarmos um só corpo. Cf. 1Cor 10,16-17: “16O cálice de bênção, que benzemos, não é a comunhão do sangue de Cristo? E o pão, que partimos, não é a comunhão do corpo de Cristo? 17Uma vez que há um único pão, nós, embora sendo muitos, formamos um só corpo, porque todos nós comungamos do mesmo pão”. 

 

 

Referência:

Catecismo da Igreja Católica, 1322-1332