GENEROS LITERÁRIOS

A BÍBLIA é como um álbum de recordações da Família, onde há diversos modos de escrever:

  • Histórias de casamentos – narrativas históricas;
  • Histórias de heróis – Epopéias;
  • Listas de Famílias – Genealogias;
  • Documentos – Legislação;
  • Cartas recebidas – Epístolas;
  • Conselhos para bem viver – Livros Sapienciais;
  • Advertências sobre perigos – Livros proféticos e apocalípticos.

Assim, são os gêneros literários na BÍBLIA: fruto da inspiração de DEUS e do esforço do homem, refletindo sobre os acontecimentos.

 

COMUNICAÇÃO DIVINA

A Comunicação Divina, por longo tempo, foi transmitida oralmente, mediante:

  • Normas jurídicas;
  • Etiologias (aitia = causa; logos = conhecimento)
  • SAGAS: o fundamento da SAGA é um acontecimento. A SAGA é um efeito histórico do acontecimento, narrado com vivacidade.

Para surgir a SAGA são precisos:

  • O acontecimento extraordinário;
  • Participantes capazes de criar a SAGA, isto é, de registrar a impressão causada nas testemunhas do fato acontecido.

Portanto, a SAGA difere doa ANAIS: simples registro de acontecimentos notáveis do ano. A SAGA tem mais vivacidade e menos visão crítica dos acontecimentos, daí ser difícil de descobrir na SAGA, o núcleo histórico.

A época dos Juízes deu origem a numerosas SAGAS.

 

A partir do século X AC, a Tradição Oral de Israel passou a ser consignada, surgindo então, os LIVROS SAGRADOS:

  • A LEI – Torah;
  • OS PROFETAS – Nebiim;
  • OS ESCRITOS – Ketubin.

 

A HISTÓRIA DE ISRAEL se desdobra uniforme e linearmente sob influência de:

1) Uma IDEOLOGIA MONOTEÍSTA muito forte, incluindo o SABER SER o POVO HEBREU, o POVO ELEITO, portanto, sua HISTÓRIA ser o desenrolar progressivo do PLANO do AMOR de DEUS;

2) Um FORTE PRAGMATISMO RELIGIOSO: Daí a cronografia bíblica ser chamada pelos exegetas modernos de “HISTÓRIA PROFÉTICA”: o pretérito anuncia o futuro. Exemplo: a REDENÇÃO MESSIÂNICA é descrita com traços característicos de duas REDENÇÕES na História de Israel: ÊXODO e REGRESSO após o cativeiro da Babilônia: Is 35,1-10; 40,1-5; 44,26-45; Jr 31,15.17.31-36; Os 2,10-19; 11,85;

3) SENSO de PROPRIEDADE LITERÁRIA muito rudimentar: Autores posteriores se permitem retocar, ampliar e atualizar obras dos Antigos, sem explicar porque o haviam feito;

4) REFERIR-SE a CONCEITOS de OUTROS, usando o discurso direto (Gn 49,2-27; Dt 33,2-29);

5) DESPREOCUPAÇÃO quanto aos PORMENORES deixando aos leitores, o trabalho de síntese. Exemplo: Gn 1,1-3,24.

É preciso cuidado em ler a Sagrada Escritura pois nela, há uma grande preocupação: TRANSMITIR a VERDADE SALVÍFICA, porém, em diversos gêneros literários:

HISTÓRICOS

1) HISTÓRIA DOCUMENTADA: Como as Crônicas do tempo de Samuel e dos Reis, descrições, relatórios, notas de arquivo etc…

2) HISTÓRIA ÉPICA: (Gn do capítulo 12 em diante). Narrativas de feição histórica: topografia exata, dados históricos valiosos, mas de feição literária artística e enfoque emotivos: História de Abrão, de Isaac, de Jacó, de José do Egito e outras. São “gestas” históricas;

3) HISTÓRIA POPULAR: em que predomina o pitoresco, como as proezas de Sansão;

4) HISTÓRIA EDIFICANTE: é história romanceada, com fins didáticos;

5) HISTÓRIA SAPIENCIAL: é uma teologia em forma narrativa: Gn 1 a11. Pertencem a um gênero literário próprio: não podem ser interpretados na categoria rígida dos Livros Históricos, nem também, ser incluídos, simplesmente, como mitologias, fábulas. Referem-se, sem dúvida, a acontecimentos ocorridos no pretérito, mediante vocabulário e estilo muito dependentes de textos profanos de outros Povos.

6) HISTÓRIA – TESE: é história, mas, servindo a uma tese que pode ser apologética, como exaltar os feitos de Davi: Livro dos Reis.

 

LÍRICO OU POÉTICO

É poesia de alto valor emotivo, como o cântico dos cânticos, celebrando o amor de Javé por Israel, sob o simbolismo do amor conjugal; assim também, os Salmos, os Cânticos de Ana, de Moisés, o Magnificat.

 

PROFÉTICO

São, em geral, os Livros escritos sob a forma de oráculos e de exortações, os primeiros, transmitem a MENSAGEM DIVINA, as últimas os sentimentos dos Profetas.

 

JURÍDICO

São, em geral, Livros que tratam de leis e Prescrições: Levítico, Deuteronômio e tópicos de outros Livros do AT.

 

APOCALIPTICO

É uma redundância da profecia: envolve uma promessa escatológica, como o “Dia de Javé”.

 

A estes gêneros clássicos, podemos acrescentar outros mais populares:

1) MIDRASH: espécie de pregação religiosa que pode assumir a forma de uma explicação dos textos sagrados, de uma exortação moral ou ainda de uma narrativa edificante;

2) TARGUM: Trata-se de uma tradução de um original hebraico para uma língua vulgar como o aramaico, ou o grego, às vezes, acompanhadas de comentários cujo valor depende da capacidade intelectual do tradutor. O mais célebre Targum é a versão dos Setenta, feita em Alexandria (Egito), por volta do ano 250 aC;

3) ANTOLOGIA: é um trecho elaborado na base da seleção de outros trechos da Bíblia, por exemplo, o “Magnificat”, ou trechos que giram em torno de um só tema: os poemas do Servo de Javé;

4) EXEMPLARIZAÇÃO: é a concentração em uma só figura típica de dados referentes a uma realidade mais complexa, como o “Servo de Javé”, “o Filho do Homem” etc…

Para mais informações sobre Sagrada Escritura, podemos verificar a primeira aula do Curso:

http://caritatis.com.br/2010/05/19/conhecendo-a-sagrada-escritura/

Fonte: Anotações das aulas de Sagrada Escritura da Escola Mater Ecclesiae – Núcleo Glória, Profª Herenice Auler, Rio de Janeiro, RJ, 1995