Mt 6,24-34: “Olhai os pássaros do céu…”. (27.fev.2011)

24Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza. 25Portanto, eis que vos digo: não vos preocupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. A vida não é mais do que o alimento e o corpo não é mais que as vestes? 26Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? 27Qual de vós, por mais que se esforce, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? 28E por que vos inquietais com as vestes? Considerai como crescem os lírios do campo; não trabalham nem fiam. 29Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles. 30Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vós, homens de pouca fé? 31Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? 32São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. 33Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. 34Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado.

____

Comentando:

Este já é o Quinto Domingo que estamos acompanhando Jesus, no seu Sermão da Montanha. Se apreendermos o Seu ensinamento, em nossa vida acontecerá Maravilhas, pois Santo é o Seu nome. Nesta pregação, Jesus nos fala sobre o serviço, a nossa disponibilidade. Servir ao mundo, eis a tentação a que somos levados a cada instante. Não podemos e não devemos nos dividir entre Deus e as coisas do mundo. Temos que agir no mundo como filhos de Deus, interagir nossa Fé com a Vida. Ao participarmos da Santa Missa, recebemos graças, dons e nos alimentamos da Eucaristia, que nos dá força para a caminhada. Na despedida, do culto eucarístico, o sacerdote diz: – “A alegria do Senhor, seja a vossa força; Ide em paz e o Senhor vos acompanhe”, ou seja, a Missa terminou e começou nossa missão. Para nossa reflexão: Como agimos em nossos ambientes: família, trabalho, bairro. Temos dado o nosso testemunho? Ou somos daqueles que possuem um comportamento na Igreja e fora da Igreja se deixa levar pelas coisas do mundo?

Jesus nos ensina a por nossa confiança em Deus, pois aquela solução que não temos, a solução que ninguém tem, somente encontramos em Deus. Temos que nos abandonar nas mãos de Deus. Há uma canção que entoamos nas Missas dominicais: “Quero mergulhar nas profundezas do Espírito de Deus e descobrir suas riquezas em meu coração”. Quando descobrimos estas riquezas, atravessamos as tempestades da vida sem sofrimento.

Da mesma forma, ao contemplarmos a natureza, observamos os pássaros, flores, como eles vivem e se conformam, formando um equilíbrio confortante a nossos olhos. Em casa temos um “gato”, sempre dormindo, preguiçoso, um amigo da casa. Não se preocupa. Tudo é preparado para ele obter o seu sustento, por isto ele gosta da casa e das pessoas que o cercam, pois sabe que dali sairá o seu sustento, há uma confiança. A mesma confiança precisamos ter em Deus, pois nada irá nos faltar, conforme trecho da canção da Irmã Miria T. Kolling: “Eu sou teu alimento, ó caminheiro! Eu sou o pão da vida verdadeiro! Te faço caminhar, vale e monte atravessar, pela Eucaristia, Eucaristia”!

Jesus nos exorta a santidade, esta deve ser a nossa preocupação primeira. Jesus insiste que devemos nos ater as coisas espirituais. Hoje a Igreja, pede a prática da Leitura Orante (Lectio Divina), conforme Documento de Aparecida (DA,249), pois só assim viveremos com serenidade a cada dia, eliminando preocupações inúteis pelo que aconteceu ontem ou pelo que irá acontecer amanhã. O que devemos é viver em Deus, com serenidade o momento presente.

Próximo a nossa casa, há um semáforo, onde diariamente, havia um rapaz, que vendia sacos. Ultimamente, tem aparecido somente aos sábados, em uma cadeira de rodas, com um dos joelhos inchado. Em conversa, com ele, falou-nos que está fazendo tratamento de Quimioterapia. Com família a sustentar, o pobre rapaz, na cadeira de rodas, às vezes com dor, insiste em vender os sacos. Temos ajudado em alguma coisa, uma palavra, às vezes um gesto concreto e oração. Mas, na certeza, que nosso Pai celeste conhece todas as necessidades e a cada dia basta o seu cuidado.