Na presença de Deus”. Assim começou o juramento dos formandos do Instituto Superior de Ciências Religiosas da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. A frase confirma a maneira como eles devem viver para colocar em prática todo o ensinamento que receberam ao longo dos quatro anos de estudo. A missa de formatura, que foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Orani João Tempesta, aconteceu na noite da última sexta-feira, 8 de julho, no auditório do Edifício João Paulo II, na Glória.

– Os cristãos têm a responsabilidade de trazer ao mundo o testemunho da verdade, a boa notícia de Cristo, mesmo em um mundo secularizado e materialista. Assim como no Evangelho de São Mateus (10, 16-23), é preciso viver com sabedoria e confiança, apesar das perseguições, sabendo que, na hora certa, o Espírito Santo de Deus vai inspirar as palavras e atitudes corretas, motivou Dom Orani em sua homilia.

A santa Eucaristia foi concelebrada pelo Bispo Auxiliar Emérito da Arquidiocese, Dom Karl Romer, pelo diretor da Faculdade São Bento, Dom Anselmo Chagas de Paiva; pelo Padre Rogégio Heleno Pereira Félix, e pelos diáconos permanentes e também formandos: João Vieira, da Paróquia de Santo Afonso, na Tijuca, e José Ferreira, da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Olaria.

O paraninfo da turma, Dom Anselmo, utilizando as palavras de São Paulo, incentivou os bacharéis a assumirem a missão de transmitir toda a formação humana e religiosa que aprenderam: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito”. (Rom12,2)

O orador da turma, Glen Borba Carreira, também refletiu sobre uma das cartas paulinas (I Cor 12,12), revelando que assim como cada parte do corpo humano tem a sua função, cada formando precisa exercer bem a sua missão, utilizando os talentos dados por Deus.

– Cada um recebeu um dom especial, que será de muita importância nos lugares onde nós vamos servir e nos relacionar com as pessoas. Mais do que bacharéis, devemos ser espirituais e aprender a viver com alegria, sob a direção do Espírito Santo! Lembremos, ainda, que estudamos não para sermos melhores do que os outros, mas para sermos melhores para os outros, afirmou.

Um tempo de graça

Dom Anselmo também destacou a importância de viver com sabedoria o “kairós”, ou seja, o tempo da graça.

– Continuem preenchendo suas vidas com valores que o tempo não se encarregue de sepultar. Escolham “a melhor parte” (Lucas 10, 42) para perseverar no caminho com Deus. A vida do espírito é a única que os dá verdadeiras alegrias. Mas exige também uma luta que requer uma vigilância contínua e dedicada, para germinar o bem e ampliar o amor, ensinou o monge.

Dom Orani também incentivou a todos os formandos a viverem com coerência e transparência, sendo a presença da viva da Igreja no mundo, de forma a motivar outras pessoas a se tornarem também bacharéis em Ciências Religiosas.

– É preciso aproveitar todas as oportunidades de aprofundar o conhecimento da fé. E viver uma adesão profunda a Cristo, estando unido à comunidade, amando e caminhando com a Igreja. Para proclamar a salvação do Senhor que faz a vida acontecer. É Jesus que nos conduz, incentivou o Arcebispo.

Durante a sessão solene de colação de grau, foram homenageados também o professor Hélio Cardoso de Albuquerque, doutor em Teologia Dogmática; o professor de filosofia, Severo Hryniewicz, que foi representado pela professora Lygia Almeida Costa, da FGV; a professora Teresa Maria Pompéia Cavalcanti, representante da PUC, e a irmã Raquel do Menino Jesus, secretária do Instituto.

Juramento dos formandos em Ciências Religiosas

Na presença de Deus, ao término do meu curso de Ciências Religiosas, juro guardar fidelidade aos artigos da fé, aprofundados nestes anos de estudos, em consonância com o Magistério da Igreja. Repudio toda a manipulação da Palavra de Deus que contradiga o que ensina a Igreja, mãe e mestra. Comprometo-me a pregar o santo depósito da fé, seja de viva voz, seja por escrito, seja por vivência, a fim de que sempre mais os homens se consagrem naquela comunhão que, no Espírito Santo, mediante o Filho, caminha para o Pai. Assim me ajude o Senhor Deus, cuja Santa Palavra toco com as minhas mãos”.

Bacharéis Eclesiásticos: Dirce Leopoldina L. Teixeira, Eduardo Lopes Caridade, Elizabeth de Araújo Fernandes, Glen Borba Carreira, João Pereira da Fonseca, Diácono João Vieira Martins, Diácono José Ferreira Conceição, Luci Caldeira de Faria, Márcia Rodrigues da Silva, Maria Cristina Gama, Sandra Leonardi Monteiro, Sheila Monteiro da Costa e Terezinha Campos Lourenço.

Artigo extraido do site www.arquidiocese.org.br, da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, reportagem de Claudia Brito em 10/07/2011.