Mc 13,33-37: “Vigiai para que não aconteça que, vindo Ele de repente, vos encontre dormindo” (27.nov.2011)

33Ficai de sobreaviso, vigiai; porque não sabeis quando será o tempo. 34Será como um homem que, partindo em viagem, deixa a sua casa e delega sua autoridade aos seus servos, indicando o trabalho de cada um, e manda ao porteiro que vigie. 35Vigiai, pois, visto que não sabeis quando o senhor da casa voltará, se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, 36para que, vindo de repente, não vos encontre dormindo. 37O que vos digo, digo a todos: vigiai!

____

Comentando:

Começamos um novo tempo litúrgico: Advento – Ano “B”, onde o fio condutor será o Evangelho de São Marcos, e neste primeiro domingo, Jesus nos fala sobre a vigilância que devemos ter com os dons que nos são dados para nossa administração.

O Senhor passa pela nossa vida e nos pede vigilância, pois, não sabemos quando Ele virá, temos de estar preparados. Vigiar e, sobretudo, amar. Quem ama cumpre os mandamentos e espera com ansiedade, com urgência, que Cristo volte; porque esta vida é espera, é caminho ao encontro de Cristo Senhor.

Vigiar significa ser bom observador das coisas a nossa volta, significa ter um olhar contemplativo, e deixar-se inundar pelo amor de Deus. Os primeiros cristãos repetiam com freqüência e com amor a jaculatória: “Vem, Senhor Jesus” (1Cor 16,22; Ap 22,20). E, ao exercitar deste modo a fé e a caridade, aqueles cristãos encontravam a força interior e o otimismo necessários para o cumprimento dos deveres familiares e sociais, e desprendia-se interiormente dos bens terrenos, com o senhorio que dá a esperança da vida eterna.

Que o tempo do Advento nos faça refletir sobre a nossa vigilância e nosso amor ao próximo?