A história da Patrística se distribui ao longo de mais ou menos oito séculos. Nela, costumam ser incluídos alguns autores que, embora não tenham preenchido o requisito de santidade de vida, foram importantes em seu desenvolvimento. No âmbito da Teologia, para designar esta época e estes autores, emprega-se o termo Patrologia. Assim, Patrística é o termo empregado pela filosofia e Patrologia, pela teologia.

Alguns autores podem ser muito importantes numa perspectiva, mas, nem tanto na outra. É neste sentido que não se pode falar propriamente de Patrística no primeiro século, já que os primeiros Padres não deram importância à filosofia. Os historiadores costumam dividir o desenvolvimento da Patrística em três etapas:

1) Formação: Das origens ao Concílio de Nicéia (325)

  • Padres Apostólicos.
  • Padres Apologistas.
  • As Primeiras Escolas Cristãs.

2) Apogeu: De 325 até o Concílio da Calcedônia (451)

3) Decadência

  • No Oriente: Até São João Damasceno (†749)
  • No Ocidente: Até Santo Isidoro de Sevilha (†636)

A) Padres Apostólicos (Século I)

Essa designação deve-se a Jean Baptiste Cotelier (†1686), que denominou de Apostólicos os seguintes escritos:

  • Epístola de Barnabé;
  • Epístolas aos Coríntios de Clemente Romano;
  • Sete Cartas de Santo Inácio de Antioquia;
  • Carta aos Filipenses de São Policarpo de Esmirna;
  • Pastor de Hermas (Hérmias);
  • Mais tarde, foram acrescentados:
  • Símbolo dos Apóstolos (Didakhé – Catecismo);
  • II Epístola aos Coríntios de Clemente Romano;
  • Escritos de Papías;
  • Carta a Diognetes;

Em geral, os Padres Apostólicos não deram importância à filosofia ou viram-na negativamente. Especialmente, Hermas (O Pastor de Hérmias) e Clemente, em suas duas Cartas aos Coríntios.

B) Padres Apologistas (Século II)

Os Padres Apologistas sentiram a necessidade do uso da filosofia para defender as doutrinas cristãs contra os que as atacavam. Reconheciam a supremacia da verdade cristã, mas não recusaram o auxílio da filosofia para a sua defesa.

Principais autores:

  • São Justino (†165);
  • Santo Hipólito de Roma (†236);
  • Quintus Septimius Florens Tertullianus – Tertuliano (†220).

Embora pertencentes a uma Escola Cristã, são também denominados de Apologistas os seguintes membros da Escola de Alexandria:

  • Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente (†217)
  • Orígenes de Alexandria ou Orígenes de Cesaréia ou Orígenes o Cristão (†253)
  • Dionísio de Alexandria, Patriarca (†265)
  • Santo Atanásio de Alexandria, Patriarca, Doutor da Igreja (†373).

C) Escolas Cristãs (Século II – VII)

C.1) Padres Orientais / Gregos

Escola de Alexandria

  • Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente (†217)
  • Orígenes de Alexandria ou Orígenes de Cesaréia ou Orígenes o Cristão (†253)
  • Dionísio de Alexandria, Patriarca, chefe da Escola até o ano de 264 (†265)
  • Santo Atanásio de Alexandria, Patriarca, Doutor da Igreja (†373).

Escola de Cesaréia da Palestina

  • Orígenes de Alexandria ou Orígenes de Cesaréia ou Orígenes o Cristão, foi o fundador (†253)
  • Gregório Taumaturgo (†270)
  • São Pânfilo, presbítero (†309)
  • Eusébio de Cesaréia, Pai da História da Igreja (†339)
  • Nemésio de Emesa (†400).

Escola de Cesaréia da Capadócia

  • São Basílio Magno, Arcebispo e Doutor da Igreja (†379)
  • São Gregório de Nazianzo ou Nazianzeno, Patriarca de Constantinopla e Doutor da Igreja (†389)
  • São Gregório de Nissa (†394)

Escola de Antioquia

  • Teófilo de Antioquia, Patriarca (†186)
  • São João Crisóstomo, Patriarca de Constantinopla, Doutor da Igreja (†407)
  • Teodoro de Mopsuéstia, bispo, também conhecido como Teodoro de Antioquia (†428)
  • Vítor de Antioquia (viveu por volta do ano 500)
  • Teodoreto de Ciro, bispo (†466)
  • Afraates, o sábio, bispo, santo (†333)
  • São João Damasceno, monge, Doutor da Igreja (†749)

C.2) Padres Ocidentais / Latinos

  • Santo Ambrósio, Bispo de Milão, Doutor da Igreja (†397)
  • São Jerônimo, Doutor da Igreja (†420)
  • Santo Agostinho, Bispo de Hipona, Doutor da Igreja (†430)
  • São Gregório Magno, Papa, Doutor da Igreja (†604)
  • Santo Isidoro de Sevilha, Arcebispo, Doutor da Igreja (†636)