Jo 15, 9-17

9Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, sereis constantes no meu amor, como também eu guardei os mandamentos de meu Pai e persisto no seu amor. 11Disse-vos essas coisas para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa. 12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo. 13Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos. 14Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando. 15Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda. 17O que vos mando é que vos ameis uns aos outros.

Comentando:

A Lei do Amor

O amor de Cristo por cada um de nós é reflexo do amor que as três Pessoas Divinas têm entre Si e para com todas as coisas: “Mas amamos, porque Deus nos amou primeiro” (1Jo 4,19).

A certeza de que Deus nos ama é a causa de nossa alegria, mas ao mesmo tempo exige a nossa correspondência fiel, ou seja, cumprir a Vontade de Deus em tudo. Por isto a marca distintiva dos seus seguidores, para serem fiéis à Sua pessoa e ao Seu projeto, será o Amor, e Amar como Ele é transformar-se n’Ele.

Jesus insiste no mandamento novo: “amai-vos uns aos outros, como eu vos amo”. Este amor não é apresentado como uma lei, mas um responder, na liberdade, algo que sai de dentro, manifestando Deus no mais profundo do nosso ser. Encontramo-nos, assim, envolvidos pelo amor de Deus. Esse amor é fonte de alegria, ou seja, um estado permanente de plenitude e bem-estar. Sem amor não é possível dar passos em direção a um cristianismo mais aberto, cordial, alegre, simples e amável, onde possamos viver como “amigos” de Jesus.

Deus não é um Ser que ama, é o Amor. N’Ele, o Amor é sua essência; se Deus deixasse de amar um só instante, deixaria de existir. O Amor que é Deus, temos que descobri-lo dentro de nós, como uma realidade que está unida intimamente ao nosso ser. Por isso, só há um mandamento: manifestar esse amor que é Deus, em nossas relações com os outros.

Deus nos chama gratuitamente. A nossa missão, consiste em seguir Cristo, buscar a santidade e contribuir para a propagação do Evangelho. Amar é desfazer-nos de tudo aquilo que acreditamos ser, para que somente fique em nós o que é Deus.

Se entrarmos nessa aventura, nossa vida será virada pelo avesso e completamente questionada. “O amor é o que diz sim, em nós”, sim à vida, sim ao compromisso, sim à compaixão…

Uma semana abençoada no Amor de Deus.