REMBRANDT Harmenszoon van Rijn. Supper at Emmaus (1648). Musée du Louvre, Paris.

Trabalhem pelo alimento que dura para a vida eterna – Jo 6,24-35

24E, reparando a multidão que nem Jesus nem os seus discípulos estavam ali, entrou nas barcas e foi até Cafarnaum à sua procura. 25Encontrando-o na outra margem do lago, perguntaram-lhe: Mestre, quando chegaste aqui? 26Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: buscais-me, não porque vistes os milagres, mas porque comestes dos pães e ficastes fartos. 27Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que dura até a vida eterna, que o Filho do Homem vos dará. Pois nele Deus Pai imprimiu o seu sinal. 28Perguntaram-lhe: Que faremos para praticar as obras de Deus? 29Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou. 30Perguntaram eles: Que milagre fazes tu, para que o vejamos e creiamos em ti? Qual é a tua obra? 31Nossos pais comeram o maná no deserto, segundo o que está escrito: Deu-lhes de comer o pão vindo do céu (Sl 77,24). 32Jesus respondeu-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu, mas o meu Pai é quem vos dá o verdadeiro pão do céu; 33porque o pão de Deus é o pão que desce do céu e dá vida ao mundo. 34Disseram-lhe: Senhor, dá-nos sempre deste pão! 35Jesus replicou: Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede.
___

Comentando:

A multidão segue Jesus até o outro lado do lago e o Senhor corrige a todos pela falta de postura na intenção daqueles que O seguem… seguem porque comeram o pão e ficaram fartos (v.26). Mas, Jesus quer prepara-lo para compreender a doutrina do discurso eucarístico. Dizia Santo Agostinho (…430): “Quantos há que buscam Jesus, guiados apenas por interesses temporais! Quase não se busca Jesus por Jesus”.

Jesus alerta ao povo para trabalhar em busca da comida “que dura até a vida eterna”. Pois, o alimento corporal serve para a vida neste mundo, o espiritual sustenta e desenvolve a vida sobrenatural, que continua para sempre no Céu. Este alimento, que só Deus nos pode dar, consiste principalmente no dom da fé e na graça santificante. Inclusive, por infinito amor divino, na Santíssima Eucaristia nos é dado como alimento da alma o próprio autor desses dons: Jesus Cristo.

O diálogo entre Jesus e os Seus ouvintes recorda o episódio da mulher Samaritana (cf. Jo 4,11-15). Ali se fala de uma água que jorra para a vida eterna; aqui de um pão que desce do Céu para dar vida ao mundo.

O que é importante sobre este pão será o seu significado. Ele vem de Deus, e não devemos ter restrições. Devemos confiar, pois Deus sempre oferece o que precisamos. Às vezes temos que ser retirados de nossas fontes habituais de apoio, a fim de ser lembrado de que o nosso sustento final vem somente de Deus.

Os interlocutores de Jesus sabiam que o maná (alimento que os Judeus recolhiam diariamente no seu caminhar pelo deserto – cf. Ex 16,13ss) era símbolo dos bens messiânicos; por isso pedem ao Senhor que realize um portento semelhante. Mas não podiam nem sequer suspeitar que o maná fosse figura de um grande dom messiânico sobrenatural que Cristo traz aos homens: a Santíssima Eucaristia.

Jesus faz uma afirmação ousada hoje: “Eu sou o pão da vida, quem vem a mim não terá fome“. Paulo insiste que a aceitação de Jesus como a verdadeira fonte e alimento de nossas vidas, provoca uma transformação total em nós.

Não podemos continuar vivendo de barriga cheia e de mente vazia, mergulhado em nosso egoísmo, mas sim ser uma nova pessoa, tendo Cristo como modelo. Alimentando-nos do Pão do Céu, misteriosamente nos transformamos e o espírito de nossa mente é renovado. Aprendemos de Cristo; somos nutridos por Seus ensinamentos e como resultado, vivemos de uma maneira diferente e quem está ao nosso lado testemunha a nossa nova vida.

Tu Senhor, fizeste um dia chover pão do Céu. Outro dia multiplicaste os pães. E outro dia Tu mesmo te fizeste pão. São tantas nossas fomes. Dá-nos coração para repartir a herança de teu pão”. (cf. Revista Testimonio, n.213)

Não é possível reconhecer o Corpo do Senhor presente na Eucaristia se não se reconhece o Corpo do Senhor na comunidade onde alguns passam necessidades.

 “É meu Pai que vos dá o verdadeiro Pão do Céu. Frase encaminhada pelo Diácono Cosme Valuche.

Referências: “Bread from Heaven,” Dianne Bergant, CSA, America: The National Catholic Weekly, 2003; Comentário ao Evangelho do Pe. Adroaldo Palaoro,SJ (Curso EE – Colégio Santo Inácio-RJ) e comentários da Bíblia Sagrada, da Edições Theológica, Braga, 1994.