Assim que vi a notícia da EVANGELII GAUDIUM, procurei o site do Vaticano e baixei o arquivo para o meu kindle. Deixei de lado Eduardo Galeano, com seu excelente Veias abertas da América Latina, para me dedicar a esta primeira exortação de Francisco.

Espremer e saborear cada palavra do texto, tem sido minha curiosidade e quero a cada momento avançar e descobrir o que o Espírito Santo quer suscitar, para onde quer me levar. O Papa do fim do Mundo nos anima e, eu como cristão leigo com esta preocupação de saborear cada trecho, ir e voltar, reler, ler novamente e questionar minha caminhada de cristão, pai, trabalhador, membro de comunidade, síndico.

A Alegria do Evangelho passa pela vida, dom de Deus e precisa ser vivida em abundância. Trabalhar com alegria, ter alegria na família, na comunidade, pois um cristão precisa e deve ser alegre.

A introdução, nos é apresentada em três partes:

a)     A alegria que se renova;

b)     A doce e reconfortante alegria de evangelizar;

c)      A nova evangelização para a transmissão da fé;

E conclui-se com a proposta de caminhada aos cristãos e Igreja, com alguns contornos, sobre as seguintes questões:

a)     A reforma da Igreja em saída missionária;

b)     As tentações dos agentes pastorais;

c)      A Igreja vista como a totalidade do povo de Deus que evangeliza;

d)     A homilia e a sua preparação;

e)     A inclusão social dos pobres;

f)        A paz e o diálogo social;

g)     As motivações espirituais para o compromisso missionário.

Que o bom Deus nos impulsione a novidade de viver nos dias de hoje o Evangelho. Sempre esteja conosco a Virgem Maria!

Eduardo L. Caridade