Mateus 16,13-23

16 13 Chegando ao território de Cesaréia de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: “No dizer do povo, quem é o Filho do Homem?”14 Responderam: “Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas”.15 Disse-lhes Jesus: “E vós quem dizeis que eu sou?”16 Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!”17 Jesus então lhe disse: “Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus.18 E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.19 Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”.20 Depois, ordenou aos seus discípulos que não dissessem a ninguém que ele era o Cristo.21 Desde então, Jesus começou a manifestar a seus discípulos que precisava ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos príncipes dos sacerdotes e dos escribas; seria morto e ressuscitaria ao terceiro dia.22 Pedro então começou a interpelá-lo e protestar nestes termos: “Que Deus não permita isto, Senhor! Isto não te acontecerá!”23 Mas Jesus, voltando-se para ele, disse-lhe: “Afasta-te, Satanás! Tu és para mim um escândalo; teus pensamentos não são de Deus, mas dos homens!”

***

Jesus um andarilho, e por onde passa os discípulos O acompanham. Nesse território, local ermo, ao norte de Israel. Jesus indaga de seus discípulos, quem Ele era. Pedro toma a iniciativa e responde. Jesus enaltece a resposta de Pedro quanto ao entendimento e faz algumas outras colocações do que iria acontecer com Ele. Pedro agora protesta e diz que não pode acontecer.

Jesus mostra o caminho dos acontecimentos traçado pelo Pai, e nada podemos fazer. Precisamos ter confiança na vontade de Deus e saber que na nossa vida jamais prevalecerá a nossa vontade, sempre a vontade de Deus.

Este entendimento será salutar a partir do momento que colocamos nossa vida a disposição das coisas de Deus e passamos a agir com indiferença as coisas do mundo. Mas, precisamos estar alertas, para não nos isolarmos e virmos a ser pessoas isoladas de tudo. Precisamos sim, entrar no mundo, com estas verdades e desta forma, com nossos bons exemplos de solidariedade e sincero humanismo, irmos orientando a outros, tal qual um dia aprendemos da vivência do Evangelho. Que nunca sejamos escândalo!