Naquele tempo, 19muitos judeus tinham vindo à casa de Marta e Maria para as consolar por causa do irmão. 20Quando Marta soube que Jesus tinha chegado, foi ao encontro dele. Maria ficou sentada em casa. 21Então Marta disse a Jesus: “Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. 22Mas mesmo assim, eu sei que o que pedires a Deus, ele te concederá”. 23Respondeu-lhe Jesus: “Teu irmão ressuscitará”. 24Disse Marta: “Eu sei que ele ressuscitará na ressurreição, no último dia”. 25Então Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá. 26E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais. Crês isto?” 27Respondeu ela: “Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo”.

***

Tamanha a fé de Marta, servindo de exemplo a nossa caminhada. Temos a mesma confiança? Fraquejamos diante das dificuldades? Nosso coração balança, talvez pela incerteza do caminho a seguir, que acaba sendo uma fé pequena.

Precisamos pedir ao Senhor, que o exemplo de hoje, no diálogo com Marta, haja em nosso coração expansão para bem guardarmos a fé e sabedoria para segui-lo nas orientações. Creio Senhor, mas mantenha firme a fé.

Bonito no encontro de ontem, com o Grupo Pós Crisma, onde pensava que tudo estava se destruindo, devido à maneira de conduzir o excelente documento “A Alegria do Evangelho”, onde o povo não estava acompanhando, pois, devido à graça de ter estudado um pouco mais, me sentia falando no vazio, onde poucos interagiam. Com a mudança de postura, ao focar mais na Palavra de Deus, o resultado foi outro, com grande participação, apesar da noite fria, havia onze pessoas, me incluindo. Deus seja louvado.