Evangelho (Lc 6,39-42)

Naquele tempo, 39Jesus contou uma parábola aos discípulos: “Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco? 40Um discípulo não é maior do que o mestre; todo discípulo bem formado será como o mestre. 41Por que vês tu o cisco no olho do teu irmão, e não percebes a trave que há no teu próprio olho? 42Como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho, quando tu não vês a trave no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”.

+++

Caminhando com Jesus, podemos observar que Ele pergunta mais que responde. E, tudo isto não acontece somente em Seu tempo, mas reflete no nosso tempo, na nossa vida, nos aspectos morais, da política, da educação. Tudo é interpelação, para que passemos a refletir sobre nosso caminhar, pois sempre achamos que somos os tais, merecedores de elogios.

Podemos verificar que é negativa esta situação, onde acusamos outras pessoas, sem olhar nosso interior. Por isso, precisamos muito refletir e discernir para onde quero ir. Vamos ler e reler as perguntas que Jesus faz. O que me incomoda? O que me toca? Como vai meu espírito crítico?

Apesar de tudo, com humildade, devemos agradecer ao Deus que nos desafia, que me questiona, tentando mudar minha vida. Agradecido devo ser.