Evangelho (João 19,25-27) 

Naquele tempo, 19 25 junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena. 26 Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí teu filho”.
27 Depois disse ao discípulo: “Eis aí tua mãe”. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.

+++

Contemplando a cena, deparamos com o sofrimento, e observamos a dor de Maria, aquela mesma Mulher que em Belém acolheu nos braços o Menino Deus, agora o vê ser acolhido nos braços da cruz. Mulher, profundamente humana, sofre a dor e suporta a humilhação, e hoje intercede pelos meus sofrimentos, minhas angústias, meus medos. Nossa Senhora das Dores, a quem posso confiar as minhas dores.

Jesus, do alto da Cruz, se despede de Sua Mãe, transmitindo a graça de acompanhar e sofrer com os que sofrem. Jesus suscita a missão. Maria, a Mãe de Deus, passa a ser também a Mãe dos cristãos, Mãe da Igreja, e como diz o Papa Francisco: Mãe da Evangelização. Certeza da Vitória sobre a morte. A Ressurreição!

Hoje, Jesus está sofrendo no mundo em muitas pessoas abandonadas, violentadas, jogadas nas ruas, sujas, na miséria. Diariamente vemos cenas assim. Peçamos a graça da Compaixão e o discernimento ao difícil chamado a esse encontro.

Agradecemos o exemplo de Maria, e de como se tornou Mãe e intercessora de cada um de nós! Rogai por nós Senhora das Dores!