Evangelho (Lucas 7,11-17)

Naquele tempo, 7 11 dirigiu-se Jesus a uma cidade chamada Naim. Iam com ele diversos discípulos e muito povo.12 Ao chegar perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto a ser sepultado, filho único de uma viúva; acompanhava-a muita gente da cidade. 13 Vendo-a o Senhor, movido de compaixão para com ela, disse-lhe: “Não chores!” 14 E aproximando-se, tocou no esquife, e os que o levavam pararam. Disse Jesus: “Moço, eu te ordeno, levanta-te”. 15 Sentou-se o que estivera morto e começou a falar, e Jesus entregou-o à sua mãe. 16 Apoderou-se de todos o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: “Um grande profeta surgiu entre nós: Deus voltou os olhos para o seu povo”. 17 A notícia deste fato correu por toda a Judéia e por toda a circunvizinhança.

+++

Jesus movido de compaixão perante a dor desta Mãe, que tinha perdido o filho, vai, o ressuscita e o entrega de volta a sua mãe, Jesus mostra seu coração sensível, revelando que a morte é ruptura, separação e ao ressuscitar o filho, mostra que a vida é encontro, entrega. Jesus ressuscita a relação.

O Evangelho de hoje nos anima ao colóquio com Jesus, que vem como Senhor da vida e restabelece as nossas relações de amor e confiança. Quem neste tempo já está com Ele, antecipa a vida eterna.

Jesus diz a mãe: “Não chores?” E ordena ao filho: “Levanta-te”. Em nosso coração, o que diz? – Como discípulos e missionários estamos neste mundo com a missão de sermos conciliadores, pacificadores. Só com Jesus, venceremos a morte.