Desperta um dinamismo criativo.

Expressão oblativa que nos faz ex-cêntricos.

Emancipa o ser humano, personaliza.

Alarga e desata todas as possibilidades humanas.

Envolve a pessoa inteira: corpo, mente, vontade, afetividade.

 

Expressão que tem peso.

É um ato de fé.

É sério, profundo, comprometido.

Em Plenitude despertará outros “sins”.

Alegra o coração. Abre o horizonte diante da nova proposta.

Nos faz peregrinos, pois provoca movimento e transformação.

 

Amplo à vida que consagra a entrega ao serviço.

Quando dizemos “SIM”, este é ressonância do “SIM” primeiro.

Vai se expandindo até nos fazer mais parecidos com Deus.

Nos faz descer em direção ao outro.

 

Maria ampliou seu próprio interior para que Deus nela pudesse encontrar mais espaço livre e poder atuar.

Maria deixou Deus ser Deus: “Faça-se em mim segundo a tua Palavra” (Lc 1,38)

O “Sim” da Mãe de Deus é para os fortes e corajosos.

 

Um “SIM” original, que ressoa e enche a pequena Casa de Nazaré e tem alcance universal.

Deus nunca força nossa liberdade.

Primeiro uma pergunta necessária e um esclarecimento rápido. Nada de garantias, nada de averiguações. Venha o que vier.

 

Espera um “SIM” claro, definitivo e permanente. “Para Deus nada é impossível”.

Seu consentimento encerra o diálogo. O anjo retira-se em silencio. É hora da ação silenciosa de Deus.

O “SIM” de Maria expressa, ao mesmo tempo, uma disponibilidade receptiva e uma prontidão ativa.

 

O caminho de Maria pode ajudar-nos, a compreender nosso próprio caminho.

Compreender a que ponto estamos petrificados existencialmente.

Como é difícil para nós dizer “SIM” e ter confiança.

A ANUNCIAÇÃO, descreve um itinerário de iniciação espiritual.

 

Entrar no estado de escuta e de confiança.

Abrir nova possibilidades de vida.

Um sim para melhor conhecer a nós mesmos, querer-nos, valorizar-nos, frente a tantos “sins” que nos complementam.

Nossos “sins” serão tanto mais livres e fecundos, quanto mais unidos estivermos a Deus, quanto mais confiarmos na sua graça.

SALVE MARIA!