Neste sábado 6/12, no final da primeira Semana do Advento, tive a graça de participar em mais um encontro com Padre Adroaldo,SJ. Desde maio/2012 nesta caminhada, em um curso para trabalharmos os Exercícios na Vida Cotidiana (EVC), onde muito já aprendi, mas parece que não há fim, sempre acontece algo novo, que faz ressoar novas todas as coisas e formas de pensar.

Trabalhamos o Mistério da Encarnação, com o olhar da Trindade. Como devemos olhar a realidade? – Com um Olhar não contaminado, sem veneno…, olhar sem rancor, sem julgamento… Olhar que recria o ser humano, que abre futuro novo, que suscita comunhão… Olhar criador que semeia vida e paraíso… Olhar inquietante que sonda a verdade… Olhar audacioso que desperta as consciências, sacode as velhas estruturas, derruba os muros da separação e da violência…

O Mistério da Encarnação, me levou a contemplar os ensinamentos de Paulo na cidade de Filipos (cf. Fl 2,5-11), onde prega um Deus que se aniquila e se faz homem e como homem se humilha e por isso Deus o exalta. Um Deus que desce, se faz homem e como homem desce mais ainda, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Depois sobe a Glória. Precisamos descer, em nosso íntimo, nosso coração, para depois subir. A Trindade agindo em nós, pela força do Espírito Santo.

A canção me veio à mente: “Espírito, Espírito, Espírito Santo de Deus.
Vem controlar todo o meu ser, vem dirigir o meu viver. O meu pensar, o meu falar, o meu sentir, o meu agir”.

Na Encarnação deparamos com Jesus. Um “encontro com alguém que é humano radicalmente e que me transforma radicalmente em ser humano”. Com a canção “Anunciação” de Alceu Valença, podemos repetir neste Advento: “Tu vens, Tu vens, eu já escuto teus sinais”. Glórias a Maria, por permitir tão grande graça.