Graça: Em meus atos e ações prevaleçam a vontade de Deus e não a minha.

Jo 5,17-30

17Mas ele lhes disse: Meu Pai continua agindo até agora, e eu ajo também. 18Por esta razão os judeus, com maior ardor, procuravam tirar-lhe a vida, porque não somente violava o repouso do sábado, mas afirmava ainda que Deus era seu Pai e se fazia igual a Deus. 19Jesus tomou a palavra e disse-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: o Filho de si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só faz o que vê fazer o Pai; e tudo o que o Pai faz, o faz também semelhantemente o Filho. 20Pois o Pai ama o Filho e mostra-lhe tudo o que faz; e maiores obras do que esta lhe mostrará, para que fiqueis admirados. 21Com efeito, como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim também o Filho dá vida a quem ele quer. 22Assim também o Pai não julga ninguém, mas entregou todo o julgamento ao Filho. 23Desse modo, todos honrarão o Filho, bem como honram o Pai. Aquele que não honra o Filho, não honra o Pai, que o enviou. 24Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não incorre na condenação, mas passou da morte para a vida. 25Em verdade, em verdade vos digo: vem a hora, e já está aí, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão. 26Pois como o Pai tem a vida em si mesmo, assim também deu ao Filho o ter a vida em si mesmo, 27e lhe conferiu o poder de julgar, porque é o Filho do Homem. 28Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que se acham nos sepulcros sairão deles ao som de sua voz: 29os que praticaram o bem irão para a ressurreição da vida, e aqueles que praticaram o mal ressuscitarão para serem condenados. 30De mim mesmo não posso fazer coisa alguma. Julgo como ouço; e o meu julgamento é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

18Por esta razão os judeus, com maior ardor, procuravam tirar-lhe a vida, porque não somente violava o repouso do sábado, mas afirmava ainda que Deus era seu Pai e se fazia igual a Deus.

Jesus era um pervertido junto a ordem constituída, pois não fazia a vontade dos judeus e sim à vontade o Pai e nos mostra o que devemos fazer, Se alguém precisava ser curado em dia de sábado, Jesus curava. E o amor que havia entre Pai e Filho, nada mais era do que o próprio Espírito Santo, que recai sobre nós. A afirmação de Jesus, se dizendo igual ao Pai, nos mobiliza a seguir Sua Palavra, pois só ela tem a vida eterna.

Da mesma sorte, encaramos conflitos, quando fazemos a vontade do Pai. Veja o exemplo de ontem, o silêncio de alguns e comentários de outros, por comentar que sábado estarei comemorando o aniversário da CVX (movimento este que surgiu a partir da opção dos padres Jesuitas, após o Concílio Vaticano II, quando substitui o nome de Congregação Mariana para CVX). Houve uma mudança ao longo da caminhada, mudança criada pelos homens e ficamos agarrados a isto. Será esta a vontade de Deus? Pois as pessoas que se agarram a princípios que não são de Deus. Prefiro ser um pervertido como Jesus o foi.

Ontem, ainda, comentário de uma paroquiana, por estar vazia a semana de liturgia, e que segunda-feira fica cheia devido ao povo da catequese. Deus, nos dá liberdade e só tiveram um Encontro (pois a Catequese começou agora), são pessoas que estão retornando à Igreja e já se vai falar de final dos tempos (Tema da Semana de Liturgia), sem nem ter recebido o anúncio. Um pouco temeroso isto. Deixemos as pessoas agirem como há de ser.

30De mim mesmo não posso fazer coisa alguma. Julgo como ouço; e o meu julgamento é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

Fazer a vontade do Pai, isto que Deus quer, que façamos a Sua vontade e não a nossa. Deus quer que sejamos justos em nossas ações. Há muita construção contrária e estamos numa luta intensa, mas precisamos estar em Deus.

Vejo a luta aqui em casa de minha esposa, vejo a luta de muitas pessoas que sofrem, mas ao mesmo tempo muitos (a maioria), não quer sequer compromissos. Há uma inveja generalizada, por esta falta de entendimento. Viver é simples, nós humanos é que complicamos, criando muitos regras e normas que acabamos não conseguindo cumprir.

Ontem, cansado, um grande engarrafamento, mas gratificante a aula de Mariologia na Paróquia NS de Lourdes, onde a participação dos alunos foi extremamente agradável, nos fazendo, apesar do cansaço, entender que Deus é bom, que nos ama incondicionalmente e quer que façamos a sua vontade, isto me basta!