Trabalho apresentado ao Programa de Complementação de Estudos em Teologia (PUC-RJ) como requisito parcial para obtenção do diploma de Bacharel em Teologia. Professor Cesar Augusto Kuzma. (2ºSem/2015).

Artigo 11

No nº 11 da Lumen gentium, perpassamos todos os sacramentos, apontando o exercício do sacerdócio do Povo de Deus, onde a Igreja se define como um sacramento (sinal eficaz, real) e instrumento de salvação de Deus através de Jesus Cristo e Sua presença no mundo. A Igreja é Cristo continuado, corpo de Cristo crucificado e vivificado pelo Espírito na Ressurreição. Na Igreja o Espírito Santo é a seiva, é a vida que vivifica, dirige e faz crescer este corpo, estes ramos. É assim que Cristo permanece vivo na Igreja, atuando nela pelo Espírito, que fala, age, santifica, ensina, exorta, salva. Assim, somos um novo povo, o “Povo de Deus” da nova e eterna Aliança, o povo no qual toda a humanidade é chamada, como deverá ser um dia, na Glória do Pai.

Muito proveitoso um trecho da palestra do Cardeal Walter Kasper no dia 01 de maio de 2014, no Boston College, Estados Unidos, que acrescento em colaboração: “A Igreja não é um tipo de agência social ou de caridade; como corpo de Cristo, ela é o sacramento da presença efetiva e contínua de Cristo no mundo. É o sacramento da misericórdia como o ‘Cristo total’, isto é, Cristo como cabeça e membros. Assim, a Igreja encontra o próprio Cristo em seus membros e nas pessoas que estão precisando de ajuda, principalmente os mais pobres”. Continua, “uma Igreja sem caridade e misericórdia não seria mais a Igreja de Jesus Cristo”.

Artigo 12

Neste ponto da Constituição dogmática, fala-se do sentido da fé e dos carismas no povo cristão, onde o trabalho que se faz, e que se desenvolve, é um apostolado, pois é o próprio Cristo que chama a este trabalho, é o próprio Cristo que garante sua missão e leva a um bom exercício, através do seu Espírito. Ninguém está só na missão, o trabalho não é em vão.

Os carismas recebidos pelos cristãos sejam entendidos, experimentados e devolvidos com a fé de cada um, como ação de graças, no seguimento a missão de Cristo e no serviço ao mundo. Pois, a missão hoje só presta seu serviço quando contagia os seres humanos com esperança. Os cristãos descobrem que a missão do Povo de Deus está a serviço de um despertar de uma esperança viva, ativa, apaixonada pelo Reino de Deus, renovando o mundo.