Os EE considerado quanto ao tempo, são uma parte de nossa vida. Mas, será que sabemos o que é a vida?

A vida do homem sobre a terra, conforme nos falam os ascetas pode ser comparada: a) a uma viagem (Pr 12,28); b) uma tempestade (Jó 7,7); c) um combate (Jó 7,1); d) um deserto [Sl 120(119),5].

a)    Se é uma viagem, os EE são uma parada, onde restauramos as forças;

b)    Se é uma tempestade, os EE são um porto de refúgio para os navegantes expostos as fortes ondas e ventos;

c)     Se é um combate, os EE são um reduto onde os combatentes encontram abrigo, armas e provisões;

d)    Se é um deserto, os EE são um oásis fértil, onde se refresca e fortalece os infelizes nômades.

Em particular os EE são:

a)    Em si mesmos: Um remédio e socorro para a perfeição e salvação de nossa alma. Sem este remédio e socorro, nos encontraremos em perigos tão fortes, que nossas melhores resoluções não conseguirão superar. Já a salvação, estará assegurada, pela fiel prática de nos recolhermos por alguns dias, para nos entregarmos livremente à meditação e à oração;

b)    Com relação a nós: Os EE são importantes para todos, porém muito mais aqueles que se dedicam à vida mista, ou seja, Comunidades de Vida Apostólica;

c)     Com relação a Deus: São o tempo da graça (2Cor 6,2). Tempo da graça: é tempo de conversão; santificação; perfeita contrição. É tempo dos milagres de Deus sobre as pessoas.

Individualmente, os EE são necessários a cada um de nós. Jr 12,11, sugere que cada um volte para seu interior, onde Deus plantou sua vinha.

Os EE são necessários:

a)    Para os pecadores: para trazê-lo de volta a vida da graça, purificando o pecador das graves culpas e propondo meios para se evitar o pecado;

b)    Para os justos: para aumentar mais ainda o fervor na prática das virtudes, para conduzir de degrau a degrau até a perfeição (Sl 84[83],8);

c)     Para as pessoas tíbias (mornas): para lhes sacudir o torpor (apatia moral, indiferença, insensibilidade), e levar a uma vida espiritual mais intensa (Rm 13,11).

Quanto a sua natureza os EE são:

a)    Exteriormente: Nos afastam, o mais possível das obrigações da vida ordinária; nos levam a viver no mais profundo recolhimento e a prática de exercícios de piedade;

b)    Interiormente: a) Nos faz chorar o passado, examinando nossa vida com o auxílio da luz divina, e assim reparar nossos pensamentos, palavras, obras, omissões; b) Nos faz ordenar o presente, fazendo uma boa confissão da vida passada, com o propósito de melhorar no futuro;

c) Preparar o futuro, com uma boa reforma de vida, estabelecendo o modo que devemos nos relacionar com Deus (vida espiritual), com o próximo (trato social) e com nós mesmos (cumprimento dos deveres).

Fonte: 
Exercícios Espirituais
Pe. Alexandrino Monteiro,SJ
Exercícios de Santo Inácio de Loyola
Adaptados e atualizados por Pe, Haroldo J. Rahm,SJ e
Dra. Núbia Maciel França
O caminho da saúde espiritual