Os Exercícios são obra do HOMEM e de DEUS.

Primeiramente do HOMEM: deve entrar só, permanecer todo e sair outro.

I) Entrar só: A solidão é necessária para ouvir a voz de Deus (Os 2,16). É esse o proceder de Deus com os amigos de sua predileção.

a)    Foi na solidão do Sinai que Deus falou a Moisés e lhe deu as tábuas da Lei;

b)    Foi na solidão do Carmelo que Elias recebeu o duplo espírito que o animava;

c)     Foi na solidão da Palestina que João Batista recebeu a plenitude do Espírito de Deus;

d)    Foi na solidão das Tebaidas e das Manresas que Deus se comunicou aos homens privilegiados, escolheu seus apóstolos mais fervorosos e inspirou os fundadores das ordens religiosas.

e)    O próprio Jesus Cristo passou a vida numa solidão quase contínua:

  1. A solidão de Nazaré por trinta anos;
  2. A solidão do presépio, que o viu nascer;
  3. A solidão do Tabor, que o viu transfigurar;
  4. A solidão do Getsêmani, que o viu suar sangue;
  5. A solidão do sepulcro, que o viu ressuscitar;
  6. A solidão do Cenáculo, que o viu entre os Apóstolos;
  7. A solidão do Mar de Tiberíades, que o viu comunicar-se com Pedro;
  8. A solidão do Monte das Oliveiras, que o viu subir, triunfante ao céu.

A solidão pode ser interior e exterior.

A Interior: 1. Faz emudecer todas as vozes que podem perturbar o repouso de nosso espírito; 2. Abafa todos os pensamentos estranhos ao fim dos EE; 3. Impõe silêncio às recordações da memória, como as representações da fantasia; 4. Reprime os afetos do coração, quando nos afastam, ainda que ligeiramente, do alvo que nos propusemos atingir.

A Exterior: 1. Separa-nos do mundo, dos parentes, dos amigos, dos negócios e das preocupações ordinárias da família; 2. Isola-nos até dos companheiros dos EE e encerra-nos dentro de um quarto para aí, só com Deus, pensarmos em nossa vida; 3. Impõe-nos um silêncio rigoroso durante os dias que duram os EE, oferecendo-nos vantagens importantes, como: a) mérito maior diante de Deus; b) maior facilidade em andar em sua santa presença; c) maior disposição para ouvir a voz do Senhor; d) maior aptidão para aprofundar as verdades meditadas e merecer os auxílios oportunos da graça.

II) Permanecer todo: Todo a Deus e todo a ti mesmo.

Todo a Deus: a) Pela confiança ilimitada em sua bondade, pois pode e quer conceder a você todas as graças necessárias, úteis e convenientes para a tua salvação e perfeição; b) Por uma inteira generosidade em aceitar corajosamente tudo o que exigir de ti.

Todo a ti mesmo: a) Pela oração humilde, confiante e perseverante, sem negares nada de ti mesmo à vontade divina, dizendo no silêncio de teu espírito: “Senhor, que quereis que eu faça? Meu coração está preparado” [Sl 108(107),2]; b) pela fidelidade às menores inspirações do Espírito Santo.

III) Sair outro:

a)  Eras alguém fraco na virtude? – Sais dos EE renovado de fervor;

b) Eras uma pessoa presa a mil afeições terrenas e humanas? – Sais dos EE desprendido completamente de tudo;

c) Eras uma alma dissipada na oração, na guarda dos sentidos? – Sais dos EE recolhido e com perfeito domínio das tuas faculdades e paixões.

d) Eras um ser fraco na tentação? – Sais rejuvenescido e robusto para vencer todas as tentações do mundo e da carne: “Sê forte corajoso!” (Dt 31,23);

e) Entrastes nos EE manchado de culpas? Sais purificado e convertido. “Então o espírito do Senhor virá sobre ti… e serás transformado em outro homem” (1Sm 10,6).

Em segundo lugar, os EE são obra de DEUS

a)    Deus é que fará frutificar a semente: “Não endureçais o vosso coração…” [Sl 95(94),8];

b)    Deus fará que em vós se verifique a palavra de Samuel a Saul: “Então o espírito do Senhor virá sobre ti… e serás transformado em outro homem” (1Sm 10,6);

c)     Deus nos tornará tudo claro, pois é a luz que ilumina todo homem que vem a este mundo;

d)    Deus tornará tudo possível. Se nada podemos por nós, tudo podemos n’Ele; “Tudo posso naquele que me dá forças” (Fl 4,13);

e)    Deus nos tornará tudo fácil, mesmo o que parecer mais custoso e repugnante à nossa natureza: “Sim, o meu jugo é fácil de carregar e o meu fardo é leve” (Mt 11,30).

Fonte: 
Exercícios Espirituais
Pe. Alexandrino Monteiro,SJ
Exercícios de Santo Inácio de Loyola
Adaptados e atualizados por Pe, Haroldo J. Rahm,SJ e
Dra. Núbia Maciel França
O caminho da saúde espiritual