Este texto trata de nossa amizade com Deus e do impacto que essa amizade exerce no mundo como ele é. Ao olharmos o mundo descobrimos que ele está carregado da grandeza de Deus. Mas, Deus também afeta o mundo por meio da amizade que ele tem por você.

Sofremos da persistente ilusão de que podemos separar nossa vida interior de nossa vida pública, como se uma não tivesse nada a ver com a outra.

Na edição do dia 10/fev/2009 do Boston Globe, a tira cômica Zits, de Jerry Scott e Jim Borgman, ilustrou bem o conceito de interior-exterior. No primeiro quadro, Jeremy Duncan, o filho adolescente, caminha em direção aos pais que estão no sofá, lendo; atrás dele há uma massa escura. No segundo quadro, ele está atrás do sofá perto do pai e a massa escura cobre parte do quadro atrás dele; surpresos, os pais levantam os olhos. A massa escura cobre todo o terceiro quadro, onde só são visíveis os olhos dos pais. O pai diz: “Alguém está de mau humor”. Ao que sua mulher responde: “Você acha?

Reflita alguns momentos sobre encontros que teve com pessoas que estavam aborrecidas. Todo dia pode haver um ou dois membros da comunidade de mau humor, e talvez eu seja um deles. O que acontece no almoço ou jantar quando me sento à mesa com esse mau humor? Uma inquietude paira no ar e nas conversas. Todos percebem que “fulano” está de mau humor, e ninguém quer dizer nada que piore as coisas. Ninguém se sente à vontade e ninguém se sente confortável o bastante para puxar um assunto. Agora se imagine almoçando com seis pessoas, duas das quais acabaram de ter uma discussão desagradável. Todos são afetados, não é mesmo? Assim, é ilusão achar que nossos estados interiores não influenciam na vida pública.

Veja o que Jesus falou no Sermão da Montanha, em Lc 6,43-45: “Uma árvore boa não dá frutos maus, uma árvore má não dá bom fruto. Porquanto cada árvore se conhece pelo seu fruto. Não se colhem figos dos espinheiros, nem se apanham uvas dos abrolhos. O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, porque a boca fala daquilo de que o coração está cheio.”

Minha vida interior, como vai?

Na segunda parte, traremos alguns exemplos de como uma alma saudável, poderá vir a dar bons frutos.

Fonte: BARRY,W.A. Mudar o coração, transformar o mundo (2016)