PERSEGUIÇÃO CONTRA A IGREJA (8,1-4)

1-4: “1E Saulo havia aprovado a morte de Estêvão. Naquele dia, rompeu uma grande perseguição contra a comunidade de Jerusalém. Todos se dispersaram pelas regiões da Judéia e de Samaria, com exceção dos apóstolos. 2Entretanto, alguns homens piedosos trataram de enterrar Estêvão e fizeram grande pranto a seu respeito. 3Saulo, porém, devastava a Igreja. Entrando pelas casas, arrancava delas homens e mulheres e os entregava à prisão. 4Os que se haviam dispersado iam por toda parte, anunciando a palavra (de Deus).”

(1-3) A morte de Estevão assinala o começo de uma violenta perseguição contra a Igreja, criando uma nova situação: longe de abater a coragem dos discípulos, a morte de Estevão tinha aumentado a coragem dos cristãos, que se dispersam precisamente para difundir melhor a doutrina. A missão na Samaria é o começo da evangelização entre os excluídos e pagãos.

(4) Os planos divinos ultrapassam sempre as previsões e os cálculos humanos. O que parecia um golpe mortal para o Evangelho vai ser precisamente um impulso decisivo para a sua difusão. Pois, os cristãos têm sempre motivo para serem otimistas, com o otimismo da fé, do trabalho sacrificado e da oração.

O Espírito Santo desce sobre todos eles, que recebem a força para serem testemunhas do ressuscitado em todos os lugares. Hoje continuamos seu testemunho e que ele chegue até os extremos da terra.