CRESCIMENTO DA IGREJA (9,31)

31: “A Igreja gozava então de paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria. Estabelecia-se ela caminhando no temor do Senhor, e a assistência do Espírito Santo a fazia crescer em número.”

Lucas aponta um período de calmaria baseado em dois fatos: 1) lapidação de Estevão, que ocasionou a fuga de muitos cristãos e a diminuição dos conflitos em Jerusalém; 2) fuga de Saulo para Tarso. Mas, nesse tempo de calmaria as igrejas cresciam nas catacumbas, no silêncio e discrição.

Põe em destaque: paz e consolação, operadas pelo Espírito Santo, promovendo otimismo e confiança na assistência divina. Confirma-se que a Igreja é de Deus e consequentemente nenhum fator humano pode destruí-la.

Referência Bibliográfica:

  • VV.AA. BÍBLIA SAGRADA, Universidade de Navarra, Edições Theologica, Braga, PT, 1990;
  • MAZZAROLO, I., ATOS DOS APÓSTOLOS (ou Evangelho do Espírito Santo), Rio de Janeiro, RJ, 2014.