Ao refletirmos sobre o texto de 2Sm 11-12, nos deparamos com o duplo pecado de Davi, primeiro por se unir a Betsabeia, mulher de Urias e a engravidar, e segundo, por colocar Urias a frente do campo de Batalha, para que este venha a morrer. Atitudes que não agradaram a Javé. Passado um tempo, o profeta Natã, vai até Davi e lhe conta uma parábola, para que reconheça seu duplo pecado. Davi, reconhece o erro, se arrepende e Javé o perdoa, mas o filho dessa união morrerá. Ao final, Davi consola Betsabeia, passam a viver juntos, e desta união nascerá Salomão.

Tal como Davi, ficamos quebrados quando tomamos consciência de nossos erros. Faltou em Davi e falta em cada um de nós a ideia central do Princípio e Fundamento, pois ao sermos criados, estamos em estado contínuo de criação, e para tal, devemos ordenar a nossa vida. E, quando não o fazemos, nos sentimos acima do bem e do mal e perdemos a noção das consequências dos nossos erros. Na cena, fica claro, que Davi não pecou contra Urias ou Betsabeia, mas sim contra Deus. Assim, ficamos de pecado em pecado, permitindo que nossos sentidos, alimente nossa imaginação, que por sua vez alimenta nossos desejos.

No livrinho dos Exercícios Espirituais (EE,23), diz que podemos usar de tudo que é criado, tanto quanto nos leva a Deus, e abster-nos, também de tudo que é criado, à medida que nos afasta de Deus. Pois, no texto bíblico, na busca de superar a solidão, Davi deixou-se levar pelo poder e pela sensualidade, que são paixões desordenadas. Assim, Davi, tentou esconder o pecado e tocar a vida como se nada tivesse acontecido, e, com justificativas. O mesmo acontece conosco. Então, quais são nossas justificativas?

Mas, a partir do diálogo com Natã, Davi se desapega, se torna indiferente e quer responder mais ao amor de Deus, passando do raciocínio abstrato para o coração existencial, que são as percepções das relações com Deus. Davi, passa a ver Deus de uma maneira nova e percebe a dependência amorosa, que deve ter de Deus, com isto recupera a alegria de viver. O mesmo deverá acontecer comigo, com você, desde que tenhamos um arrependimento sincero, optando pela fidelidade ao Deus da vida.