A partir de uma leitura atenta no texto de Mt 25,31-46 (o último julgamento), deparamo-nos com a solicitação do Senhor, para que vivamos as obras de misericórdia (v.35-36), caminhos válidos desde sempre na busca da santificação. Mas, infelizmente, devido a alguns riscos e limites da cultura de hoje, como: ansiedade, negativismo, tristeza, comodismo, consumismo, egoísmo, individualismo, que em excesso podem vir a prejudicar a convivência nas Comunidades, que buscam ser uma escola de santidade.

Na Gaudete et Exsultate, o Papa Francisco nos propõe em seu capítulo IV, cinco grandes manifestações do amor de Deus, para alcançarmos a santidade no mundo atual. Lembrando, que o referido documento é apenas propositivo, mas se dá em processo, desde que permitamos que nossas vidas sejam invadidas pelo amor de Deus.

A primeira manifestação – SUPORTAÇÃO, PACIÊNCIA, MANSIDÃO: Vivemos em um mundo acelerado e agressivo. A partir da firmeza interior, devemos permanecer centrados, pois, se Deus é por nós, quem será contra nós (cf. Rm 8,31). Não caíamos na tentação de procurar a segurança interior no sucesso, prazeres vazios, na riqueza, no domínio sobre os outros.

Segunda manifestação – ALEGRIA E SENTIDO DE HUMOR: Mal humor não é um sinal de santidade. O Papa, nos alerta, sobre a alegria consumista e individualista, muito presente na cultura de hoje. O Cristão, deve ser alegre, agir com o exemplo de Maria e dizer, que meu espírito exulta em Deus, meu Salvador (cf. Lc 1,47).

Terceira manifestação – OUSADIA E AMOR (PARRESIA): O Papa nos pede impulso evangelizador para deixarmos uma marca neste mundo, devemos partir, servir, estar em saída, pois nada poderá nos separar do amor de Deus (cf. Rm 8,39), pois desde o batismo somos selados no Espírito Santo. Peçamos ao Senhor: a graça de não hesitar, a coragem apostólica de comunicar, de não transformar nossas vidas em um museu de recordações. Deixemos o Espírito Santo agir.

Quarta manifestação – EM COMUNIDADE, devemos evitar o isolamento, pois as tentações nos rondam. A sedução nos bombardeia. A Santificação é caminho comunitário. Na comunidade, deve ser lugar de partilhar a Palavra, lugar de celebrar juntos a Eucaristia, que aos poucos vai nos transformando numa comunidade santa e missionária.

Enfim, a quinta manifestação – ESTAR EM ORAÇÃO CONSTANTE, o Cristão deve ser uma pessoa de espírito orante, seguindo exemplo de outros santos, como São João da Cruz (†1591), que andava sempre na presença de Deus… tinha o desejo de Deus; ou Santa Teresa de Ávila (†1582), que dizia que a oração… é um permanecer a sós com Aquele que nos ama. E, nosso patrono, Santo Inácio de Loyola (†1556), que ensina a “Contemplação para alcançar o Amor”: O Amor é mais obras do que palavras; O amor consiste em comunhão mútua.

Então, Encontremos Jesus nas Escrituras, que nos leva a Eucaristia. E na Comunhão, renovamos a Aliança com Ele e como os irmãos. É preciso amar mais…

Texto elaborado por Eduardo Lopes Caridade, a partir do capítulo IV da Exortação apostólica Gaudete et Exsultate do Papa Francisco, de 19/mar/2018 (Dia de São José).